Iris - Sentir para ver

O espetáculo é fruto de uma pesquisa da Epifania Companhia de Teatro sobre os cinco sentidos – visão, olfato, paladar, tato e audição, e em como a perda de um deles, por exemplo, o da visão, pode culminar na qualificação dos demais sentidos. Sentidos esses tão necessários e vitais para a vida em sociedade, mas também para o aperfeiçoamento da prática do profissional das artes cênicas e seus principais pontos de articulação com a problemática do indivíduo, sua organicidade e coerência no contexto da socialização.

 

O espetáculo surgiu em 2012 a partir de um convite para uma participação em um evento beneficente cujo tema era a deficiência visual. A Cia. desenvolveu então uma intervenção de teatro-dança inspirada nas necessidades e dificuldades de um deficiente, procurando trazer à tona a relação tênue entre indivíduo e sociedade, entre inclusão e exclusão. E a partir desta intervenção, surgiu o espetáculo “ÍRIS”, no qual a Cia. procura trazer, também, para um primeiro plano o olhar sobre o processo intelectivo e psicológico do indivíduo/artista como fonte de criação e produção artística. Em cena estão as suas angustias, seus anseios, a sua inadequação social e o psicológico do homem, do artista.

 

No centro da discussão encontra-se não apenas o julgamento da necessidade de um olhar mais direcionado para o deficiente por parte dos órgãos governamentais e da população, mas uma preocupação da Epifania Companhia de Teatro em estabelecer uma intima relação entre arte e sociedade.

Iris - Ver para Sentir

Ficha Técnica

Adaptação e Direção: Samir Signeu

Elenco: Adriano Dlugosz, Amanda Leones, Luana Costa e Samir Signeu.